Interview with Elsa Barreto/Entrevista com Elsa Barreto

This interview represents two first times for this blog: the first time I interview someone related to the fashion industry and the first time I translate a post to Portuguese, which is my mother language. When preparing the questions and, later, preparing this post, I tried to make things interesting both for fashionistas in my country and international readers. For those who never heard of the designer, I hope you can understand her work, for those who did, I hope you get to “know” the her a little bit.

Esta entrevista representa duas primeiras vezes para mim: a primeira vez que entrevisto alguém ligada à indústria da moda e a primeira vez que traduzo um post para português (a minha língua mãe). Quando preparava as questões e, mais tarde, a preparar o post, tentei tornar as coisas interessantes para os fashionistas no meu país e também para os leitores internacionais. Para aqueles que nunca ouviram falar da designer, espero que compreendam o seu trabalho, para os que já ouviram, espero que ficam a conhecê-la um pouco mais.

Elsa Barreto

It was no surprise for me when, only one day after sending the e-mail asking for this interview, the spokeswoman of the designer responded positively. I had already heard about Elsa’s kindness and willingness to collaborate. Although she has a very busy life, which she divides between family, designing and her store in Braga, she managed to find space for this conversation and a few days after the first contact with the spokeswoman, I was in her office – full of natural light, as I like – at the bottom of her store. Elsa herself invited me in and a few minutes later, the conversation began.

Não me espantei quando, um dia depois de ter enviado e-mail a pedir esta entrevista, a assessora de imprensa da designer me respondeu afirmativamente. Afinal, já tinha lido artigos em revistas, que falavam da simpatia da Elsa e do facto de estar sempre disposta a colaborar.  Apesar de levar uma vida agitada que divide entre família, a criação de colecções e uma loja em Braga, lá conseguiu arranjar espaço para esta conversa e, pouco tempo depois do primeiro contacto com assessora, encontrava-me no seu escritório – cheio de luz natural, mesmo como eu gosto -, ao fundo da sua loja. A própria Elsa convidou-me para entrar e poucos minutos depois, a conversa começou.

Elsa Barreto’s store/ A loja de Elsa Barreto

I started by asking why she opted to open a store, when so many designers relinquish it for showrooms and she answered she considers the store the best way to expose her work. Her store in Braga is one of the most elegant and polished places, where we can find her collections, with personalized service. Her desire to expand the brand urged her to accept Antónia Prassa’s (owner of Prassa stores)  invitation to expose in Prassa Mulher, which opened last month in Oporto. It’s a modern store, whose design aims to make women feel inside their own closets. Cocktail dresses and a few wedding dresses are some of the pieces with Elsa’s signature you can buy in this store.

Comecei por perguntar o porque de ter optado por abrir uma loja, quando tantos designers abdicam disso e optam por mostrar as suas criações em exposições, ao que me respondeu que considera a loja a melhor forma de expor o seu trabalho. A sua loja em Braga, é um dos espaços comerciais mais elegantes e cuidados, lá podemos encontrar as suas colecções, com um atendimento personalizado. O seu desejo de expansão da marca, fez ainda com que recentemente aceitasse o desafio de Antónia Prassa, dona das lojas Prassa, para expor na loja Prassa Mulher, que inaugurou o mês passado, no Porto. Trata-se de uma loja moderna, cujo design visa fazer com que a mulher se sinta dentro do próprio closet, enquanto escolhe as suas roupas. Vestidos de cocktail roupa festiva e alguns vestidos de noiva são algumas das peças com assinatura da designer que pode agora comprar na loja Prassa Mulher.

The designer with Antónia Praça at the opening of the store Prassa Mulher/ A designer com Antónia Praça, na inauguração da loja Prassa Mulher.

Her collections are divided into 3 lines: prêt-à-porter, wedding gowns and couture. The first one is a recent creation, which was born because of the desire to see women wearing Elsa Barreto in their everyday lives. The weeding gowns line is the oldest. For 10 years, the designer invested in gowns, although she is now on a break. “I intend to do wedding dresses again, but not the traditional ones […] think night gown,  bold, very elaborated on the back and fluid, but in a light shade, which is often used for wedding gowns”.

As suas colecções dividem-se em 3 linhas: prêt-à-porter, noivas e alta costura. A linha prêt-à-porter é uma criação recente, que partiu do desejo de ver as mulheres vestirem Elsa Barreto no dia-a-dia. A linha de noivas é a mais antiga. Durante 10 anos, a designer diz ter apostado imenso em vestidos para o casamento, no entanto, encontra-se neste momento a fazer uma pausa. “Planeio voltar a fazer vestidos de noiva, mas não os tradicionais […] imagine um vestido de noite, muito arrojado, com umas costas muito elaboradas e muito fluído, mas num tom claro, que se usa normalmente para vestidos de noiva”.

The show “Namorar Portugal”, where she presented her collection/ Na iniciativa “Namorar Portugal”, onde apresentou a sua colecção.

Her couture creations are often paraded in the red carpet. Portuguese celebrities like Vanessa Oliveira, Cláudia Borges, Iva Domingues, and others, are constantly photographed in dresses with her signature. Although, when I asked her if she had a muse or a style icon, her answer was simple and clear: “Without being pretentious, I am my muse”. “I can’t create something I wouldn’t dress myself […] Even when I design something for an older women, I try to think of what I would like to wear when I’m that age…and people like the clothes when I do it like that”. Even if she has to adapt something to satisfy the client, she admits she won’t go to the point where she looses her signature. “Whoever comes to me, it’s because he or she knows and likes what I do and wants some of my characteristics as a designer”, she said, concluding that “in the end, I have to look at the piece and say: it has my signature”.

As criações de alta costura são constantemente desfiladas em cerimónias de passadeira vermelha. Celebridades como Vanessa Oliveira, Cláudia Borges, Iva Domingues, entre outras, são muitas vezes fotografadas em vestidos com a assinatura da designer. No entanto, quando lhe perguntei se tinha uma musa inspiradora ou ícone de estilo, a resposta foi simples e muito clara: “Sem querer ser pretenciosa, a minha musa sou eu”. “Sou incapaz de criar algo que eu própria não vestisse […] Mesmo quando desenho algo para uma pessoa de uma faixa etária mais elevada, tento pensar no que provavelmente gostarei de vestir quando tiver essa idade… e as pessoas gostam mais das roupas quando assim é”.  Ainda que tenha que adaptar alguma coisa, para melhor satisfazer a cliente, admite que não vai até ao ponto em que se perca a sua assinatura. “Quem vem ter comigo, vem porque conhece e gosta do meu trabalho e quer determinados traços meus”, afirmou concluindo que, “no final, eu tenho que olhar para a peça e dizer: isto tem a minha linha”.

To me, this is the perfect dress. I wouldn’t change a thing. Perfection! Model Vanessa Oliveira/Para mim, este vestido é perfeito. Não alteraria nada. Perfeição! Model Vanessa Oliveira

Elsa is the best ambassador of her label, although she never forgets the importance of advertising. She recently designed the wardrobe for a theatre play named “Raparigas” (Girls), invited by the director Almeno Gonçalves and Liliana Santos wardrobe for the play “Hotel Casarão”. When I asked her about the experience, she said she liked it: “I went to a few meetings, to know the characters and, according to what I was said, I created the wardrobes […] it’s as if the clothes also tell a story”.

A estilista é a melhor embaixadora da sua marca, no entanto não descura a importância de publicitá-la. Recentemente desenhou os figurinos para a peça de teatro “Raparigas”, convidada pelo encenador Almeno Gonçalves e também o guarda-roupa para a personagem de Liliana Santos na peça “Hotel Casarão”. Quando a questionei acerca da experiência, não hesitou em dizer que gostou de o fazer: “Fui a algumas reuniões, para conhecer as personagens e, de acordo com o que me disseram sobre cada uma, criei o guarda-roupa […] é como se a roupa também contasse uma história”, conclui.

Posters of the plays/Cartazes das peças

The collections…/ As colecções:

She considers herself a designer who likes minimalism, which is visible in her work, although she gives big importance to details and cut. “The pieces in this collection are structured, with different cuts”. In her creations, she likes to emphasize waist and hip, so that the curves get well defined. “I like to put belts in straight dresses, to mark the waist”.

Considera-se uma designer que gosta do minimalismo que é, de facto, visível no seu trabalho, no entanto dá muita importância aos pormenores e ao corte. “As peças desta colecção são peças bem estruturadas, com vários cortes”. Nas suas criações gosta de dar ênfase à cintura e à anca, de forma a que as linhas da mulher fiquem bem definidas. “Mesmo nos vestidos que são mais estruturados, a direito, gosto de por um cinto, para marcar a cintura”.

Fall/Winter Collection 2010/ Colecção Outono/Inverno 2010

She defines her own style as very feminine, she never wears pants and she prefers dresses. That’s the reason why they are so important in her collections. In maxi dresses and gowns, she uses especially fluid silks, altough,for cocktail dresses, she prefers rigid fabrics, since they define the silhouette.

Define o seu estilo próprio como muito feminino. Afirma que não veste calças e que prefere vestidos. Esta peça ganha assim uma importância crucial, uma vez que é sempre fulcral nas suas colecções. Em vestidos longos, a designer diz apostar principalmente nas sedas fluídas, por se tratar de um tecido nobre, no entanto, para os vestidos de cocktail diz preferir tecidos mais hirtos, uma vez que marcam melhor a silhueta.

Two gowns taken to the Portugues Golden Globes by Cláudia Borges and Vanessa Oliveira/ Dois vestidos levados aos Globos de Ouro por Cláudia Borges e Vanessa Oliveira

When asked about giving or not giving a subject to the collections, Elsa answered she can’t stay tied to one, because it “limits the state of creativity” and the process of creation is the culmination of a process of absorption of information. As someone who likes to be informed, she pointed: “there are professional sites that I  sign, I travel, I see collections, shows, I read magazines, I watch people on the street…” in the end, her collections reflect everything she assimilated, presented through her point of view, her interpretation. “We’re constantly being bombarded with information related to fashion, it is almost impossible not to be informed”

Em resposta à pergunta que lhe coloquei acerca de dar ou não um tema às colecções, respondeu-me que não consegue ficar presa a um tema, porque isso lhe “limita o estado de criatividade” e que o processo de criação não é mais do que o culminar de um processo de absorção de informação. Como pessoa informada que gosta de estar, afirmou que “há sites profissionais que eu assino, eu viajo, vejo colecções, assisto a desfiles, leio revistas, observo as pessoas na rua…”, no final, as suas colecções reflectem tudo aquilo que assimilou, apresentado através do seu ponto de vista, da sua interpretação. Afinal, “estamos constantemente a ser bombardeados com informação ligada à moda” e é quase impossível não sermos influenciados.

Fall/Winter 2010/ Outono/Inverno 2010

During the conversation, Elsa told me about the importance of attending textile and fashion fairs like “Première Vision”, where color and fabric trends are dictated, considering it is important to have the first contact to what will be in vogue. “Whoever wants to create, does not copy. Each creator has it’s own style and signature. The fact that everybody starts doing this or that hemline relates to the fact that we all have previous information, that later, in a natural way, we put in the collection”.

Ao longo da conversa a designer falou-me ainda da importância de frequentar feiras de têxteis e moda, como é o caso da “Première Vision”, onde se ditam tendências no que diz respeito a tecidos e cores, considerando que “é importante ir a essa feira para ter os primeiros contactos com o que vai estar na moda”. “Quem realmente quer criar, não copia. Cada criador tem o seu estilo e a sua linha. O facto de toda a gente começar a fazer determinadas mangas ou bainhas, deve-se ao facto de todos nós termos uma informação prévia que depois, de forma natural, vamos mais ou menos inserindo na nossa colecção”.

I love the way she plays with textures and patterns. Vanessa Oliveira on the left and a Fall/Winter 2010 collection dress on the right/ Adoro a forma como joga com texturas e padrões. Vanessa Oliveira do lado esquerdo e um vestido da colecção Outono/Inverno 2010 à direita.

Since she is a Portuguese designer, I thought it would be inevitable to ask what she thinks about the state of fashion in Portugal. “We’re ok in our limitations”, she said, explaining the country still have many lobbies, in different areas, including fashion. There are great designers that aren’t recognized yet but, on the other side, a major part of the creators are beginning to be known.

The logo of the company/O logotipo da empresa

She said Portuguese people are in vogue and that relates to the facts that there are low-cost labels, which allow to people to dress well,without paying a lot and also to the fact that there is a globalization, informations spreads quickly. “I remember going to Paris 25 years ago and bringing magazines which meant gold to me, because they didn’t exist in Portugal. I saw those magazines for years, because the information they contained was rare”.

On a personal level, I was especially amazed for her kindness and also the fact that she values her family so much, considering it fundamental, because of the support it gives her, on a professional level, I believe I don’t have to say much more, once you saw the pictures and the (good) work she does. I just have to say thank you to Elsa for the availability and for having me. Thank you.

Tratando-se de uma designer portuguesa achei inevitável perguntar o que achava acerca do estado da moda em Portugal. “Estamos bem dentro das nossas limitações”, disse-me inicialmente, explicando depois que o país tem ainda muitos lobbies no que respeita às mais variadas áreas, sem excepção da moda. Há designers com valor que nem sempre são reconhecidos mas, por outro lado, considera que está a conseguir-se que o trabalho da maior parte dos criadores comece a ter maior visibilidade.

The designer with Claudia Jacques/A estilista com Cláudia Jacques

Diz que os portugueses estão cada vez mais na moda e que isso se deve ao facto de existirem marcas “low-cost” que permitem às pessoas vertir-se bem sem terem que pagar um preço muito alto e, principalmente, à globalização e à rapidez com que a informação circula. “Eu lembro-me de há 25 anos atrás ir a Paris e trazer revistas de moda que, para mim eram ouro, porque aqui não existiam. E eu via essas revistas durante anos, porque a informação que elas continham, para mim era algo raro”.

A nível pessoal, marcou-me principalmente a sua simpatia e também o valor que dá à família, que considera fundamental, pelo apoio que dá, a nível profissional penso que não seja preciso dizer muito mais, uma vez que, com estas fotografias, puderam ver o (bom) trabalho que faz. Resta-me apenas agradecer à Elsa a disponibilidade e o facto de me ter recebido tão bem. Obrigada.

 

Advertisements

One thought on “Interview with Elsa Barreto/Entrevista com Elsa Barreto

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: